Arilson questiona Governo sobre socorro aos pequenos empresários

Na manhã desta quarta-feira (27/05), o Deputado Arilson questionou o Secretário da Fazenda do Paraná, Renê Garcia, que apresentou as contas do Governo na sessão remota da Assembleia. Os três questionamentos feitos pelo deputado são refentes à destinação dos recursos e adequação das finanças do Governo no momento da pandemia.

Arilson destaca opção política do Governo em não “ajudar” os pequenos empresários

Em sua apresentação das contas, o Secretário evidenciou a diminuição da arrecadação do Estado. De acordo com esse entendimento, o deputado Arilson apontou a necessidade de que em situações de dificuldade econômica, o Governo deva se ater ao essencial, como por exemplo a manutenção dos serviços públicos.

Um dos questionamentos de Arilson se deu justamente sobre a atuação econômica do Governo durante a pandemia, que segundo levantamento realizado pelo Deputado, assinou Decretos destinando recursos que contabilizam mais de R$300 milhões para asfalto, quando poderiam ser utilizados para investimentos na Saúde e no combate à pandemia.

O deputado foi incisivo na defesa de que esses valores poderiam ter sido empenhados, por exemplo, no aumento do auxílio de R$50,00 destinados para pessoas de baixa renda e/ou também, destinação de empréstimo a juro ZERO para micro e pequenos empresários e microempreendedores individuais.

O deputado Arilson entende que “O Governo não pode seguir a cartilha do presidente Bolsonaro e Guedes de que o incentivo às pequenas empresas não dá retorno. Essa é uma visão lamentável, o Governo precisa enxergar o valor e a importância que as pequenas empresas tem para a economia. Não pode virar as costas para aqueles que geram empregos e contribuem com o desenvolvimento do Paraná”.

Também foi motivo de questionamento qual linha econômica o Governo do Estado pretende adotar durante a pandemia para a recuperação econômica. Se irá ofertar políticas públicas para fazer a economia girar, especialmente para os pequenos negócios, ou se seguirá pelo caminho do livre mercado, sem estender a mão e contribuir com a saúde financeira das empresas.

Outro questionamento foi sobre a transparência dos dados da execução orçamentária. O deputado aponta que a disposição dos dados é fundamental para o trabalho dos parlamentares, de forma que possibilite a fiscalização efetiva e real do Poder Executivo. Arilson destaca que desde o início do Governo, há um ano e meio, os dados ainda não estão disponíveis para os deputados, o que deve acontecer em tempo real, conforme determinado pela Lei Complementar 131. O deputado voltou a cobrar o acesso qualificado ao Novo SIAF – Sistema Integrado de Finanças Públicas, que apresenta dificuldade para a realização de análises.

Publicado em: 27/05/20



São João do Ivaí recebe Pulverizador do deputado Arilson

Ver mais

COREMAN recebe emenda parlamentar do deputado Arilson

Ver mais

Novo Decreto endurece medidas em 134 cidades do Paraná, veja quais são

Ver mais

Assembleia aprova apoio ao MST, a pedido de Arilson

Ver mais

Deputados querem plano emergencial para recuperação de micro, pequenas e médias empresas

Ver mais